sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Especial Argentina: Soy borracho por ti, America


No post anterior, reclamei do preço da cerveja e até não dei o valor devido à Quilmes. Lá tem como se beber cerveja de uma forma mais justa, mas não na Plaza Serrano, que é furada aquele Madagascar!

Vamos lá, Quilmes é a cerveja mais popular da Argentina, até quem não tem Quilmes, gosta de colocar a marca no letreiro. E, por ser leve, logo pensei que ela era fraca e não é. É uma magrinha com conteúdo alcóolico, mas muito boa para o verão.
Como fazer para bebe-la mais barato? As dicas são ir às lojinhas, chamadas lá de Kiosco ou então procurar pizzaria, restaurantes de massa ou de comida caseira. Como o povo bebe mais vinho do que cerveja, uma pizzaria, por exemplo, nem se importa de cobrar um preço justo pelo casco de 1 litro.
Assustamos quando pensamos que estaríamos pagando de R$ 7,50 ao nosso "deizão" no casco, mas a questão é: Não é 600 ml, é um litro. Então, faça sempre a razão e proporção se não já estiver muito bêbado. Ah, é muito mais comum ter estabelecimentos que NÃO aceitam cartões, lá chamados de Tarjetas(leia-se tarretas!) porque o imposto é de quase 20%. Então, leve dinheiro.

No mercado, as cervejas também se destacam aos olhos brasileiros, pois tem Heineken de 1 litro, Quilmes etc. Provei a Palermo é era encorpada, lembrava um pouco a Devassa daqui. Agora, nem tudo são flores e há cervejas muito amargas e amadas pelos locais. É bom tomar cuidado,

Na lista de furada, coloca aí que bar do Roberto, que toca tango de raíz, não tem estoque de Quilmes suficiente para seus clientes, mas fomos salvos por um bar numa rua pŕoxima, que o dono disse que vai até colocar show de rock, serve pipoquinha e amendoim (parece despacho, mas cai bem). É um estabelecimento verde, andando no sentido contrário dos carros na rua que faz esquina com a Bulnes, altura do Bar do Roberto!

Ah, e Quilmes tem mil versões, além dos mil tamanhos (porrón é a long neck). É para ficar bem borracho, como se diz bêbado por aquelas bandas e até no Sul.

Ah, também postarei sobre a Vodka de lá, o balde enorme que se bebem nas boates e o Pisco versão argentina.

Até mais!